Semana Nacional do Trânsito - 18/09/2020

10 dicas da ANIP para a segurança dos pneus


Entre os dias 18 e 25 de setembro é realizada a Semana Nacional do Trânsito 2020, que acontece todos os anos desde a implantação do Código Nacional de Trânsito, em 1997. Neste ano, a campanha em parceria com o Observatório Nacional de Segurança Viária - ONSV pelo Programa Laço Amarelo, terá como tema "Perceba o Risco, Proteja a Vida", dando sequência às ações educativas e de conscientização para um trânsito mais seguro. 

Ao longo dos seus 60 anos, que se completam em 2020, a Associação Nacional da Indústria dos Pneumáticos (ANIP), representa o setor no país para que os processos de produção sejam realizados de acordo com todas as especificações técnicas e procedimentos regulatórios exigidos com objetivo de oferecer aos consumidores produtos com o mais alto nível de tecnologia, conforto, qualidade e segurança . 

Pensando nisso, durante a Semana Nacional do Trânsito 2020, a ANIP divulga 10 dicas importantes para a manutenção e segurança dos pneus, que fazem toda a diferença quando o assunto é direção segura: 

1: Calibragem dos pneus: os pneus devem ser calibrados semanalmente de acordo com a indicação do manual do veículo e indicações do fabricante. A baixa pressão é especialmente nociva, pois torna a direção pesada, aumenta o consumo de combustível e o desgaste dos pneus. A pressão deve ser regulada com os pneus frios. 

2: Balanceamento e alinhamento: o balanceamento dos pneus e o alinhamento das rodas do veículo devem ser realizados a cada 10 mil quilômetros rodados, quando surgirem vibrações, na troca ou no conserto do pneu, quando o veículo sofrer impactos na suspensão, quando apresentar desgastes irregulares, quando forem substituídos componentes da suspensão ou quando o veículo estiver puxando para um lado. 

3: Rodízio de pneus: o rodízio compensa a diferença de desgaste dos pneus, além de trazer mais estabilidade e eficiência. No caso de pneus diagonais de passeio, o rodízio deve ser feito a cada 5.000 quilômetros rodados. Já para os pneus radiais de passeio, deve ser realizado a cada 8.000 quilômetros. 

4: O perigo dos "pneus carecas": o Tread Wear Indicator (TWI) é uma saliência de borracha com altura de 1,6 mm que é colocada dentro do sulco do pneu. Quando o desgaste do pneu atinge esse indicador, significa que já está no limite de segurança e é hora de trocá-lo. 

5: Estepe: o estepe é tão importante quanto os pneus que estão sendo usados e deve estar em boas condições para uma eventual troca. 

6: Pista molhada: a atenção deve ser redobrada em dias de chuva. A aquaplanagem pode fazer com que se perca o controle do veículo, principalmente se os pneus estiverem carecas. Em caso de chuvas fortes, reduza a velocidade. 

7 - Segurança em motocicletas: a reforma de pneus em motocicletas afeta a curvatura e as dimensões originais nos componentes externos dos pneus: banda de rodagem, ombros e flancos e é proibida no Brasil. As leis que proíbem o uso e serviço de reforma em pneus de motocicletas são: a Resolução 158/2004, do Conselho Nacional do Trânsito (CONTRAN), que proíbe o uso de pneus reformados e a Portaria 554/2014, do Inmetro, que proíbe o serviço de reforma de pneus. 

8 - Produtos inimigos do pneu: derivados de petróleo atacam a borracha dos pneus. Por isso, não estacione sobre poças de óleo e verifique se os produtos usados nas rodas têm alguns destes elementos. 

9 - Saber "ler" o pneu: Nem todos reparam nas letras e números na lateral do pneu, mas eles estão relacionados a informações sobre o próprio pneu como carga e pressão máxima, local e data de fabricação, limite de velocidade, dimensões, tipo de construção e modelo. 

10 - Escolhendo o pneu certo: Quando chega a hora de trocar os pneus nem sempre é fácil saber qual é o mais adequado. Para isso, é importante sempre consultar o manual do veículo. Lá é possível encontrar o tamanho e os limites de carga e velocidade que devem ser respeitados.