Negócios calçadistas - 11/01/2021

Rodadas com compradores latinoamericanos devem gerar US$ 1,2 milhão

Eventos digitais foram realizados entre 23 de novembro e 4 de dezembro de 2020 com 17 marcas brasileiras


Visando incrementar as exportações de calçados em tempos de pandemia e restrições aos encontros físicos, a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), por meio do Brazilian Footwear, programa de apoio aos embarques do setor promovido em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), promoveu as Rodadas Digitais de Negócios América Latina. Realizadas entre 23 de novembro e 4 de dezembro de 2020 com 17 marcas brasileiras, o evento deve gerar mais de US$ 1,2
 milhão, somando negócios realizados nas rodadas e alinhavados para o semestre. 

A analista de Promoção Comercial da Abicalçados, Paola Pontin, conta que a receita gerada é proveniente da venda de mais de 93 mil pares de calçados. “Na primeira edição das rodadas com compradores da América Latina os resultados já haviam sido muito promissores, o que se repetiu na segunda edição”, avalia. Segundo ela, é um modelo de negócios que veio para ficar, tanto no mercado doméstico quanto internacional. “A pandemia do novo coronavírus acabou por acelerar um processo de digitalização do mercado e as empresas
 estão se dando conta disso”, acrescenta. 

Conforme relatório da Abicalçados, foram mais de 170 reuniões com compradores da Colômbia, Equador e Peru, países que, juntos, importaram 12,3 milhões de pares de calçados brasileiro entre janeiro e novembro de 2020, o que representa 14,5% do total exportado pela indústria calçadista nacional no período. “São países muito importantes para o calçado verde-amarelo, todos estão posicionados entre os nossos 10 principais destinos no exterior”, conclui Paola. 

Participaram das rodadas as marcas Perlatto, Macboot, Tnin, Petite Jolie, Floré, Andine, Andacco, Batatinha, Dakota, Kolosh, Mississipi, Campesí, Alliance Shoes, Vero Moc, Invoice, Piccadilly e Plugt.